Português   English   Español

The New York Times “jogou a toalha” sobre Bolsonaro

The New York Times

“Escolha triste”, diz editorial do jornal New York Times sobre Bolsonaro.

“A escolha é dos brasileiros, mas é triste para a democracia quando a desordem e a decepção abrem as portas para populistas cruéis e ofensivos”, diz o artigo escrito pelo conselho editorial do jornal norte-americano The New York Times sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Para o jornal, Bolsonaro é o mais recente nome de uma longa lista de populistas alcançando o mais alto cargo em seus países. “Não surpreendentemente, ele é frequentemente descrito como um Donald Trump brasileiro”, compara o texto.

A posição do NY Times não deve deixar ninguém surpreendido. O que deve causar espanto é o fato do “renomado” periódico já ter declarado a vitória de Bolsonaro faltando 6 dias para o segundo turno das eleições brasileiras.

A posição política do The New York Times está bem definida. O jornal entrou em guerra contra Donald Trump desde o exato momento em que ele declarou sua candidatura à Presidência dos Estados Unidos.

Ao longo da eleição, o jornal deixou cair todas as máscaras, apresentando abertamente seu viés esquerdista, com um ênfase elevado na implementação da ideologia globalista. O resultado todos nós sabemos: uma derrota histórica da democrata Hillary Clinton e, principalmente, um choque de realidade para os veículos de informação da grande mídia.

Dois anos depois, o “globalismo” foi declarado como uma grande ameaça à soberania dos EUA durante o discurso de Trump na Assembleia Geral da ONU, apenas algumas semanas atrás.

Portanto, é bastante razoável que o jornal The New York Times enxergue Jair Bolsonaro como uma ameaça.

O candidato do PSL já deu a entender que pretende expandir as relações comerciais sem o viés ideológico, o que pode abrir as portas para uma maior parceria econômica entre o Brasil e Estados Unidos

Ainda do ponto de vista geopolítico, Bolsonaro também prometeu rever as relações do Brasil com os participantes do xadrez bélico e político no Oriente Médio. A tendência é que uma parceria estratégica com Israel seja colocada em prática em um eventual governo do capitão reformado do Exército.

Ainda por cima, o jornal americano parece ter uma relação de bastante intimidade com o Partido dos Trabalhadores (PT). Como esquecer o artigo “escrito” pelo presidiário Lula – e publicado no NY Times – mesmo estando preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba?

O artigo do ex-presidente do PT publicado no dia 14 de agosto foi assombroso e pegou muito mal. O jornal precisou emitir uma errata para corrigir as informações falsas inseridas na matéria pela equipe que escreveu o texto no nome de Lula. Renova Mídia prestou atenção a este fato.

Tarciso Morais

Tarciso Morais

Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

Deixe seu comentário

Veja também...