Trump acusa Obama de dar cidadania a 2.500 iranianos durante acordo nuclear

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou nesta terça-feira (3) o seu antecessor, Barack Obama, de dar cidadania americana a 2.500 iranianos durante as negociações do acordo nuclear com o Irã de 2015.

“Acaba de sair (a notícia de) que o governo de Obama concedeu a cidadania, durante a negociação do terrível acordo nuclear, a 2.500 iranianos, entre eles funcionários governamentais. O quão forte (e ruim) é isso?”, escreveu Trump no Twitter.

A postagem de Trump está provavelmente relacionada a uma notícia veiculada ontem pela Fox News, que assegurou que o clérigo e parlamentar iraniano Mojtaba Zolnuri tinha apresentado esse número durante uma entrevista ao jornal iraniano “Etemad”, que foi repercutida pela agência estatal iraniana “Fars”.

O clérigo Zolnuri afirmou:

Quando Obama, durante as negociações sobre o JCPOA (sigla do acordo nuclear), decidiu fazer um favor a esses homens, concedeu a cidadania a 2.500 iranianos, e alguns funcionários iniciaram uma competição para que seus filhos pudessem ser parte desses 2.500 iranianos.

E acrescentou:

Se hoje esses iranianos são deportados dos EUA, ficará claro quem é cúmplice e quem vende o interesse nacional como se estivesse vendendo doces aos EUA.

Trump anunciou em maio a saída dos EUA do acordo nuclear com o Irã, que limita o programa atômico iraniano em troca do levantamento das sanções internacionais, e planeja voltar a impor algumas de suas restrições econômicas em agosto e outras, como as que afetam a venda de petróleo, em novembro.

 

Com informações da EFE

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.