Trump critica procurador-geral por não investigar espionagem de Obama

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, lançou nesta quarta-feira (28) novas críticas contra o procurador-geral, Jeff Sessions, por considerar vergonhoso seu procedimento para investigar abusos dos serviços de inteligência durante a administração Obama.

A crítica de Trump foi feita pelo Twitter na manhã desta quarta-feira:

Por que Jeff Sessions está pedindo ao Inspetor Geral para investigar um possível abuso do FISA? Nunca terminará, não tem nenhum poder judicial e já está atrasado com relatos sobre Comey, etc. O Inspetor Geral não foi escolhido por Obama? Por que não advogados do Dep. de Justiça? VERGONHOSO!

Aprovada há 40 anos, a lei FISA (Foreign Intelligence Surveillance Act) exige que investigadores do departamento de Justiça apresentem a um magistrado federal elementos comprobatórios – que permitam supor, por exemplo, que um indivíduo trabalhe clandestinamente para uma potência estrangeira – a fim de ter o direito de colocar essa pessoa sob escuta.

No entanto, conforme comprovado no memorando confidencial tornado público semanas atrás pelo Comitê de Inteligência do Congresso, a administração Obama obteve autorizações FISA para espionar a campanha de Donald Trump utilizando um dossiê falso financiado pelo partido democrata e pela campanha de Hillary Clinton.

Em um breve comunicado, o procurador-geral Jeff Sessions reagiu com firmeza, destacando, sem mencionar diretamente o tuíte do presidente, que enquanto ocupar o cargo, continuará cumprindo seu dever “com honra e integridade”.

Este Departamento continuará fazendo seu trabalho de maneira justa e imparcial, respeitando a lei e a Constituição”, acrescentou.

Com informações de: [IstoÉ]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia