Trump vai transferir embaixada em Israel para Jerusalém em maio

O presidente Donald Trump planeja transferir a embaixada dos Estados Unidos em Israel para Jerusalém no dia 14 de maio, de acordo com o correspondente israelense Barak Ravid, do Channel 10.

A data é extremamente simbólica por dois motivos: 14 de maio é o dia que Israel declarou sua independência em 1948 e o dia que o ex-presidente norte-americano, Harry Truman, reconheceu o Estado israelense.

A mudança deve acontecer muito antes do esperado. Durante sua visita à Israel no mês passado, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, disse que a transferência da embaixada aconteceria apenas em 2019.

No final do ano passado, o presidente Donald Trump entrou para a história ao reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

De acordo com informações do jornal O Globo:

O Departamento de Estado dos EUA anunciou que o país inaugurará sua controversa embaixada em Jerusalém em maio. Segundo a porta-voz Heather Nauert, o planejamento antecipado foi feito para coincidir a data de inauguração com o 70º aniversário da fundação do Estado de Israel, em 14 de maio.

Inicialmente, segundo informaram à Reuters autoridades sob anonimato, a representação diplomática terá apenas alguns escritórios num edifício que já é administrado pelos EUA na cidade. A inauguração viria no mesmo dia em que, em 1948, Israel declarou independência e o então presidente Harry Truman reconheceu o anúncio.

 De acordo com informações do jornal The Times of Israel traduzidas pelo Gospel Prime:

O embaixador dos EUA em Israel David Friedman defendeu a mudança  “o mais rápido possível”.

Os EUA analisaram já teriam autorizado um estudo para abrir, em caráter temporário,  a embaixada no consulado que funciona no bairro de Arnona, onde são tratados assuntos consulares como passaportes e vistos. Inicialmente, seriam abertos escritórios naquele espaço  para acomodar Friedman e um ou dois assessores principais, como seu chefe de gabinete. Enquanto isso, o prédio definitivo da embaixada seria construído.

Isso permitiria ao governo Trump considerar o prédio sua “embaixada”, ainda que com funcionamento parcial. À medida que a reforma fosse sendo concluída, os demais funcionários sairiam de Tel Aviv e se acomodariam nos novos espaços no prédio em Jerusalém.

A inauguração poderia ser no Dia da Independência de Israel, Yom Ha’atzmaut. Como Israel segue o antigo calendário lunar as datas variam a cada ano. A independência de Israel foi oficializada no dia 5 do mês de Iyar de 5708. O calendário ocidental marcava  14 de maio de 1948, mas este ano recairia em 18 de abril, seguindo o calendário judeu. Mesmo assim, as festividades oficiais ocorrerão a partir de maio.

 

Com informações de: [Axios]
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia

1 Comentário

  1. José Ribeiro disse:

    Donald Trump é o cara, o melhor presidente que o Estado Unidos já teve

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *