Trump tratou da perseguição aos cristãos com Kim Jong Un

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A cúpula histórica entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong Un, em Cingapura, nesta terça-feira (12), foi destaque em todos os veículos da imprensa internacional.

Como era de esperar, o assunto principal da conversa foi o compromisso de desnuclearização do regime norte-coreano.

Além disso, a questão da melhoria das condições de vida dos cidadãos do país mais fechado do mundo também foi discutida. O tema dos direitos humanos, apesar de ter sido minimizado pela imprensa, também esteve na mesa de negociações.

Em coletiva de imprensa após o encontro, Donald Trump foi questionado sobre “o histórico de violação” dos direitos humanos praticado pela Coreia do Norte.

O presidente dos Estados Unidos respondeu que “isso foi discutido”, mas não ofereceu detalhes específicos, insistindo que “Kim Jong Un quer fazer a coisa certa”.

Ao ser indagado especificamente sobre a situação dos cristãos no país, sabidamente perseguidos por sua fé, Trump declarou:

Cristãos? Sim. Nós tratamos do assunto, muito fortemente.

Logo depois, ele mencionou o trabalho de seu amigo Franklin Graham, com quem tem o costume de orar e se aconselhar na Casa Branca.

Sabe, Franklin Graham passou e passa muito tempo na Coreia do Norte. É uma questão com a qual se preocupa muito. O assunto surgiu e as coisas vão acontecer.

 

Com informações de Gospel Prime

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.