Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

TSE nega pedido do PSL contra Fernando Haddad e Roger Waters

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
TSE nega pedido do PSL contra Fernando Haddad e Roger Waters

Por unanimidade, Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgou improcedente ação do PSL contra Roger Waters, que usou sua turnê pelo Brasil em período eleitoral para atacar o então candidato Jair Bolsonaro.

O tribunal entendeu que não houve conluio entre o petista Fernando Haddad e organizadores do show e, portanto, arquivou pedido do partido do presidente eleito para tornar o petista inelegível por 8 anos pela acusação de abuso de poder econômico.

O ministro Jorge Mussi, relator do caso, defendeu “a liberdade de expressão” e pontuou que a turnê em questão não recebeu dinheiro público.

Segundo “O Antagonista“, ele explicou:

Vê-se que a turnê não teve financiamento público de recursos e que somente o artista e sua equipe detiveram controle sobre o conteúdo dos shows. O candidato e os empresários não possuíam qualquer ingerência sobre o roteiro da apresentação.

Além disso, segundo o ministro, os shows de Roger Waters, ex-vocalista do Pink Floyd, não tiveram impacto nas eleições. Mussi afirmou que a campanha #EleNão já era conhecida de todos, com divulgação maciça na internet.

O relator, cujo teor do voto recebeu diversos elogios durante o julgamento, foi acompanhado por todos os ministros da corte eleitoral.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email