Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch
Português  English  Español  Italiano  Français  Deutsch

Tucanos investigados pela PF complicam a vida de Alckmin

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Tucanos investigados pela PF complicam a vida de Alckmin

Em duas semanas, PSDB teve dois candidatos ao Senado alvos de ações da PF – um deles foi até preso – e também um governador que tenta a reeleição.

Não bastassem as dificuldades que já enfrenta na campanha, Geraldo Alckmin (PSDB) acumula uns problemas extras causados por próprios aliados.

Em especial, três deles – um candidato a governador e dois ao Senado – que ganharam o noticiário por razão diversa da política: se viram alvos de buscas, apreensões e até prisão.

São três tucanos que, antes desses sobressaltos com a Justiça, vinham bem nas pesquisas e com vitória quase assegurada no pleito. A história, para alguns deles, agora é outra.

O ex-governador Beto Richa, do Paraná, que é um dos vice-presidentes da legenda, passou quatro dias preso acusado de integrar um esquema de propina, fruto de licitações irregulares, lavagem de dinheiro e obstrução de Justiça.

Candidato à reeleição em Mato Grosso do Sul, e até com chances de vitória no primeiro turno, o governador Reinaldo Azambuja, também do PSDB, teve sua casa e gabinete alvo de buscas e apreensões na Operação Vostok.

Figura de proa no partido, e também um dos vice-presidente da legenda, o ex-governador Marconi Perillo, de Goiás, foi o mais recente tucano atingido por uma ação da Polícia Federal, na operação Cash Delivery.

Adaptado da fonte Gazeta do Povo

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email