Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch
Português   English   Español   Italiano   Français   Deutsch

Turquia pode ser responsabilizada por execuções de Curdos na Síria

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia
Turquia pode ser responsabilizada por execuções de Curdos na Síria

“As execuções sumárias são graves violações de direitos humanos que podem constituir crimes de guerra”, disse a ONU sobre acusações contra a Turquia.

Após os primeiros sete dias de ofensiva militar contra os Curdos, o regime islâmico da Turquia já pode ter cometido graves violações das leis internacionais. 

A Organização das Nações Unidas (ONU) advertiu que, caso seja provada a responsabilidade em execuções sumárias de soldados cativos e de uma líder política curda no nordeste da Síria, o governo de Recep Tayyip Erdogan será responsabilizado.

Em entrevista coletiva, o porta-voz do Escritório do Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Rupert Colville, afirmou que as execuções foram gravadas em vídeos e posteriormente divulgados nas redes sociais.

Aparentemente, as execuções foram cometidas pelo grupo jihadista Ahrar al-Sharqiya, filiado às forças turcas, em uma estrada entre as cidades de Hasakah e Manbij.

A política executada é Hevrin Khalaf, uma conhecida ativista curda. De acordo com Colville, “as execuções sumárias são graves violações de direitos humanos que podem constituir crimes de guerra”.

“Pedimos às autoridades turcas que iniciem imediatamente uma investigação imparcial, transparente e independente sobre estes incidentes”, ressaltou o porta-voz, segundo a agência EFE.

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no reddit
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Comentários

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Outras Notícias