União Europeia leva Hungria, Polônia e República Checa à Suprema Corte por não aceitarem cota de imigrantes

Idiomas:

Português   English   Español
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Os três países em questão são governados por líderes conservadores que não se curvam à agenda globalista de fronteiras abertas imposta pela União Europeia.


Mesmo após serem acionados na justiça meses atrás, as nações continuam recusando receber milhares de imigrantes ilegais realocados de outras nações europeias.

Hungria, Polônia e a República Checa dizem que os imigrantes muçulmanos não têm lugar em suas sociedades, predominantemente cristãs e citam preocupações de segurança, por conta dos vários ataques terrorista cometidos por militantes islâmicos na Europa.

Ao que parece, os políticos globalistas da União Europeia estão dispostos a lutar até o fim pela imposição de sua vontade em detrimento da opinião da população dos países em questão; uma clara violação da soberania das nações.

 

Com informações de: (1)

Newsletter RENOVA

Receba gratuitamente as principais notícias do Brasil e do Mundo por email.

Curta e compartilhe...

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on reddit
Share on vk

Deixe seu comentário...

Veja também...