Vale tenta conter avanço da lama tóxica no Rio Paraopeba

Idiomas:

Português   English   Español
Vale tenta conter avanço da lama tóxica no Rio Paraopeba
TARCISO MORAIS
TARCISO MORAIS
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Um equipamento de contenção da lama começou a ser instalado pela mineradora Vale nesta quarta-feira (30) no Rio Paraopeba.

A intervenção é uma medida para tentar minimizar o impacto dos rejeitos de minério da barragem rompida em Brumadinho na sexta-feira (25) e que vai em direção à cidade de Para de Minas através do Rio Paraobeba.

O equipamento tem aproximadamente 250 metros de extensão e altura modulável, segundo informado pela Vale ao “G1“.

A medida tem como objetivo evitar problemas de captação de água que é feita no município por meio do Rio Paraopeba.

Alternativas foram apontadas pelo Executivo como forma de prevenção, caso o abastecimento seja interrompido.

Na segunda-feira (28), a empresa Águas de Pará de Minas identificou alterações nos padrões de coloração da água bruta do Rio Paraopeba na cidade de Juatuba, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Entretanto, até agora, as análises não identificaram nenhuma alteração nos parâmetros de qualidade da água no ponto de captação do Sistema de Abastecimento Paraopeba, localizado no distrito de Córrego do Barro, em Pará de Minas.

Newsletter RENOVA

Receba diariamente as principais notícias do Brasil e do Mundo.

Curta e compartilhe esta notícia

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on google
Share on pinterest
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário

Veja outras notícias em destaque