Português   English   Español

Venezuelanos comendo salsicha pra cães e arroz para galinhas

Leidy Cordova, 37, with four of her five children at their home in Cumana, Venezuela, June 16, 2016. Their broken refrigerator held the only food in the house: a bag of corn flour and a bottle of vinegar.  The nation was anxiously searching for ways to feed itself, as the economic collapse of recent years had left it unable to produce or import sufficient food. (Meridith Kohut/The New York Times) --  PART OF A COLLECTION OF STAND-ALONE PHOTOS FOR USE AS DESIRED IN YEAREND STORIES AND RECAPS OF 2016 --

Uma organização não-governamental denunciou nesta sexta-feira (12/01) que a população está comendo alimentos para cachorro, misturada com ovos mexidos ou arroz.

A ONG Programa Venezuelano de Educação e Ação para os Direitos Humanos (Provea) visitou supermercados em Caracas e concluiu que “muitas pessoas compram as chamadas ‘salsichas para cães’, que são compostas por ossos de frango triturados e misturados com outras partes não comestíveis do frango” para “consumo humano”.

Segundo o relatório, algumas pessoas admitiram que ingeriam aquele alimento com ovos mexidos, misturados com arroz.

Com base em outras denúncias, o jornal venezuelano El Universal noticiou que o consumo de alimentos para animais se converteu numa “prática normal” para “muitos venezuelanos”, perante a “escassez” e “altos preços” dos alimentos no país.

Em 2017, você viu que a quantidade de cidadãos passando fome na ditadura de Nicolás Maduro aumentou drasticamente.

“Um dos principais alimentos para animais que as pessoas consomem é o arroz [para galinhas], por ser mais econômico e render mais, mas a este produto adiciona-se salsichas para cães”, explicou.

O médico Manuel Hernández, do organismo para as questões sanitárias no estado venezuelano de Miranda, advertiu, num comentário difundido pela Internet, que o arroz usado para alimentar galinhas “não cumpre com as melhores condições de higiene”, e se trata de um “subproduto”, colhido a partir do desperdício do arroz tradicional.

Hernández lembrou que aquele arroz “contém bactérias” e que “durante o processo de produção poderá ter caído no chão e estar contaminado com urina de roedores”.

A nutricionista Yazarenit Mercadante, da Fundação Bengoa para a Alimentação e Nutrição, advertiu para o risco de doenças, contraídas através do consumo de produtos que são vendidos avulso e cujas condições de processamento e armazenamento são desconhecidas.

Mercadante lembrou que as salsichas para animais podem conter partículas que não foram tratadas adequadamente.

 

Com informações de: (1)

Deixe seu comentário

Veja também...