Venezuela rejeita resolver disputa territorial com Guiana na Justiça

A ditadura da Venezuela rejeitou nesta segunda-feira (18) participar do processo movido pela Guiana perante a Corte Internacional de Justiça (CIJ) para resolver a disputa territorial sobre o território do Essequibo.

Representado pela vice-presidente Delcy Rodriguez e pelo ministro das Relações Exteriores Jorge Arreaza, a ditadura venezuelana expressou sua decisão durante uma reunião convocada pela CIJ em Haia.

De acordo com informações do BOL:

No comunicado divulgado nesta segunda-feira, a Venezuela pede que a Guiana “retome as negociações de boa-fé com a mais ampla, sincera e melhor disposição para chegar a um acordo prático e satisfatório para ambas as partes”.

A Venezuela reivindica soberania sobre a região de Essequibo, rica em minerais e florestas, e que abrange uma zona marítima com importantes recursos petrolíferos.

A Guiana, uma ex-colônia britânica, sustenta que o limite do território foi estabelecido em 1899 por um tribunal de arbitragem, que nunca foi reconhecido pela Venezuela.

Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia