Venezuela sugere que EUA financiam desestabilização da Nicarágua

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

A representante da Venezuela na Organização dos Estados Americanos (OEA), Sara Lambertini, afirmou nesta sexta-feira (13) que, “sem o dinheiro dos Estados Unidos, a violência acaba na Nicarágua”.

Sara Lambertini, segunda secretária da missão da Venezuela na OEA, fez estas declarações durante uma sessão extraordinária do Conselho Permanente do organismo, com sede em Washington, realizada a pedido de Argentina, Canadá, Chile, Estados Unidos e Peru.

A representante venezuelana fez menção a uma audiência realizada nesta quinta-feira na Câmara de Representantes dos EUA, da qual participou o embaixador americano da OEA, Carlos Trujillo, e onde, segundo assegurou Lambertini, se pôde entender “o verdadeiro plano” para a Nicarágua.

A funcionária indicou que, durante essa audiência, Trujillo assinalou o governo da Nicarágua como culpado da crise, ditou medidas coercitivas contra o Executivo e disse que a solução era mudar de gabinete, algo “contrário à Constituição”.

De acordo com a representante venezuelana, isto demonstra “o financiamento exterior da desestabilização da Nicarágua”.

Desde abril, a Nicarágua é palco de protestos contra o governo do presidente Daniel Ortega, cuja repressão já deixou centenas mortos desde o último dia 18 de abril, segundo dados dos organismos humanitários.

 

Com informações de BOL

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.