Português   English   Español
Português   English   Español

Vitrine de Haddad, Fies gerou inadimplência e verba para empresários

Vitrine de Haddad, Fies gerou inadimplência e verba para empresários
Tarciso Morais
Tarciso Morais
Fundador e editor-chefe da RENOVA Mídia.

Cálculos do Tesouro Nacional mostram que, de 2019 até 2030, o programa vai consumir R$ 46,5 bilhões em recursos públicos.

Uma das principais vitrines de Fernando Haddad (PT), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) deixou como herança um contingente elevado de estudantes endividados e turbinou os grupos privados de educação.

A inadimplência no programa, que atingia 31,4% dos contratos em 2013 (ano seguinte ao término da gestão Haddad como ministro da Educação), aumentou após a recessão e hoje supera 50%, segundo o FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento à Educação).

O pagamento do financiamento se inicia um ano e meio após a conclusão do curso pelo estudante, que tem 12 anos para quitá-lo.

Para técnicos da equipe econômica e do TCU, medidas implementadas por Haddad contribuíram para acelerar a adesão ao programa e o descontrole das contas.

Cálculos do Tesouro Nacional, a pedido da reportagem, mostram que, de 2019 até 2030, o programa vai consumir R$ 46,5 bilhões em recursos públicos – até agora, já custou R$ 80,8 bilhões. O cenário leva em consideração quadro em que 50% dos alunos não pagarão pelo financiamento.

As projeções são crescentes porque levam em conta o aumento do número de bolsistas após as mudanças no programa feitas na gestão do petista.

 

Adaptado da fonte Gazeta do Povo

Compartilhe...

Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on telegram
Share on reddit
Share on linkedin
Share on email

Deixe seu comentário...

A RENOVA Mídia não se responsabiliza pelo conteúdo, opiniões e comentários dos visitantes do site. NÃO publique ofensas, discordar não é ofender. Caso encontre algum material com ofensas, denuncie. Lembre-se que ao comentar em nosso portal você concorda com estes Termos de Uso.

Veja também...