Weintraub ignora críticas por suspensão de vestibular para trans

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

“Era ilegal o que estavam fazendo, mandamos voltar atrás e ponto”, afirmou o titular do MEC.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, ignorou, nesta quinta-feira (18), as críticas por causa da suspensão do processo seletivo de vestibular voltado para transgêneros e intersexuais na Universidade da Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

“Pra mim é indiferente questionarem ou não nossa determinação. Era ilegal o que estavam fazendo, mandamos voltar atrás e ponto”, afirmou Weintraub, segundo o site Metrópoles.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, também comentou o caso, no mesmo tom:

“Não podemos permitir o ativismo, em respeito às famílias. Reservar um concurso para não binários (eu não sabia o que era, não vou falar para vocês em respeito a vocês), mas não faz sentido reservar vagas para eles. Botamos um ponto final!”

O ministro Weintraub, no entanto, fez uma ressalva:

“Agora, se for para a Justiça, que cumpra-se a lei. Eu sou um legalista, não sou visceral nessa determinação, se for para Justiça e mandarem voltarmos atrás vamos cumprir.”

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email

Newsletter

Receba as principais notícias do dia, assine nossa newsletter gratuita.