- PUBLICIDADE -

Witzel acusa Bolsonaro de ‘interferência’ após operação da PF

Witzel diz que nunca comentou sobre porteiro com Bolsonaro
- PUBLICIDADE -

“A interferência anunciada pelo presidente da República está devidamente oficializada”, disse Witzel após operação.

Wilson Witzel (PSC), governador do Rio de Janeiro, afirmou, nesta terça-feira (26), que não tem qualquer participação nas irregularidades investigadas pela Polícia Federal (PF) em hospitais de campanha no estado.

Com autorização do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a PF deflagrou¹ a operação “Placebo”, que mira desvios de recursos da saúde do Rio em meio à pandemia de coronavírus.

O Palácio das Laranjeiras, residência oficial do governador, foi alvo da ação. A casa em que Witzel morava antes de assumir o governo Rio, no Grajaú, e o Palácio da Guanabara, sede oficial da administração fluminense, também foram alvos da operação.

“A interferência anunciada pelo presidente da República está devidamente oficializada”, disse o governador do Rio em nota² à imprensa.

Por outro lado, em Brasília, ao deixar o Palácio da Alvorada, na manhã de hoje, o presidente da República, Jair Bolsonaro, celebrou o lançamento da operação Placebo.

“Parabéns para Polícia Federal”, enfatizou³ o chefe do Executivo. 

Referências: [1][2][3]
PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -