PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Witzel atacou a PF poucos dias antes de ser alvo de operação

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

“Polícia Federal está fazendo várias ilações”, disse Witzel uma semana antes de ser alvo da operação Placebo.

Na última terça-feira (19), Wilson Witzel (PSC-RJ), governador do Rio de Janeiro, negou qualquer envolvimento em um esquema de corrupção nos órgãos de saúde do Estado em meio à pandemia de coronavírus.

“Eu acho, assim como vários governadores, que a Polícia Federal está fazendo várias ilações. Estão tentando colocar todos os governadores em investigação”, disse Witzel em entrevista¹.

Uma semana depois, Witzel acordou com as notícias² da operação “Placebo”, que mira suspeitas de desvios de recursos da saúde do Rio.

Ao todo, 12 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos — um deles no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governador.

Witzel e a esposa, Helena, também são alvos da operação, que foi autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Referências: [1][2]
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
Compartilhar no email
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!
PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI!

Encontrou um erro?

Para comunicar um erro de português, de informação ou técnico, preencha o formulário abaixo.