- PUBLICIDADE -

Witzel diz que nunca comentou sobre porteiro com Bolsonaro

Witzel diz que nunca comentou sobre porteiro com Bolsonaro
- PUBLICIDADE -

“Eu jamais vazei qualquer tipo de documento. Sequer tive acesso a documentos que constam dessa investigação”, disse Witzel. 

Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, negou que tenha vazado informações à Rede Globo sobre a morte da vereadora Marielle Franco e disse que sequer teve acesso às investigações sigilosas.

Em discurso, nesta quarta-feira (30), Witzel declarou:

“Eu jamais vazei qualquer tipo de documento. Sequer tive acesso a documentos que constam dessa investigação. E se esse documento vazou, como foi apresentado ontem [terça] numa emissora de televisão, que a Polícia Federal investigue e tome as providências.”

Em viagem à Arábia Saudita, o presidente da República, Jair Bolsonaro, o acusou de “conduzir” o processo do assassinato e vazar segredos de Justiça para incriminá-lo. 

O chefe do Executivo também disse que Witzel havia falado com ele sobre o caso semanas atrás em um evento, como noticiou a RENOVA.

Segundo o site Metrópoles, Witzel rebateu:

“Se está no Supremo Tribunal Federal, pode ter vazado ali dentro ou em qualquer outro órgão. Tem que ser investigado. Pode ser pela PF porque tem interesse da União. E eu estou à disposição. Desafio quem quer que seja a provar que eu vazei qualquer tipo de documento.”

Em seguida, disse acreditar que Bolsonaro fez uma transmissão nas redes sociais em um momento de “descontrole emocional”:

“Espero que o presidente reflita. Assim como ele divulgou um vídeo na internet que ofendeu a nossa Suprema Corte, pedindo desculpas, ele deve desculpas ao povo do estado do Rio de Janeiro.”

PUBLICIDADE
- PUBLICIDADE -

TÓPICOS

COMPARTILHE

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no reddit
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -